A virtude da justiça

O Grupo de jovens se mantinha unido a mais de um ano, desde quando terminara a catequese; atualmente, mais do que nunca, todos se sentiam felizes (bem aventurados) por pertencerem ao grupo ATITUDE, que procurava a cada encontro se fortalecer e se integrar no mundo, sem traumas ou impulsividade, mas com perseverança, respeito e garra, em busca de um futuro consciente como cristãos comprometidos com Deus e sua comunidade.

Isabel acabara de chegar. Ela era para aqueles jovens não apenas uma catequista, mas um exemplo de ternura, desprendimento, amizade sincera, coragem e justiça. Hoje eles iam refletir a virtude da justiça, algo que todos queriam, mas poucos a praticam totalmente. Ela é essencial, todos tinham conhecimento de como isso é importante na vida da humanidade desde a criação do ser humano.

Logo após a oração inicial, Tiago pediu a palavra: __Eu acredito, disse ele, que ser justo é buscar a igualdade para todos. Alguém aqui sabe como era a justiça no tempo do Império romano? Ou melhor, no tempo de Jesus?

__Eu, respondeu Gabriel, já li sobre isso, me parece que em Roma a justiça era representada por uma figura de mulher com os olhos vendados, significando que somos "todos iguais perante a lei" ou que "todos têm direitos iguais".

__Acredito que até hoje as pessoas pensem assim, acrescentou Mila, pois em Brasília, em frente ao prédio do Supremo Tribunal Federal, existe uma escultura  com o nome de “justiça”, com as mesmas características  desta de Roma descrita por Gabriel.

__Antes de pensarmos na justiça do mundo contida nesta representação da mulher de olhos vendados, comentou Isabel, pensemos na justiça divina que não falha e nem falta aos que a buscam. Sobre a justiça na Bíblia alguém já leu algo?

__Nas pesquisas desta semana, lembrou Artur, busquei alguns esclarecimentos na Bíblia e encontrei o apóstolo Paulo falando de justiça aos cristãos de Éfeso: “Assim, mantenham-se firmes, cingindo-se com o cinto da verdade, vestindo a couraça da justiça e os pés calçados prontos para evangelizar...” (Ef 6,14). Entendi que um bom anunciador do evangelho precisa praticar a justiça. E vocês o que deduziram das palavras de Paulo?

__ Eu acredito que o apóstolo Paulo, como bom fariseu que tinha sido antes da sua conversão, conhecesse muito bem os textos das Escrituras que falam sobre o poder e a força da justiça. Conheço um texto, o Salmo 50,6 que diz: “Proclamem os céus a sua justiça, porque Deus em pessoa é o juiz”.

__ É verdade, sabemos que Deus é o nosso juiz e que Ele quer que nós os seus filhos busquemos a justiça, concluiu Tiago. É como bem diz aquele canto da proclamação do evangelho: “buscai primeiro o Reino de Deus e a sua justiça, e tudo o mais lhe será acrescentado...”.

__Alguém tem mais algum comentário sobre a virtude da justiça? Concluiu Isabel.

__Eu me lembrei de outra palavra do apóstolo Paulo aos cristãos de Roma quando ele fala dos ensinamentos deixados por Jesus. Ele afirma que a justiça se revela pela fé no evangelho... e que o Reino de Deus não é a comida ou a bebida, mas a justiça, a paz e a alegria no Espírito Santo. Portanto, acredito que nós jovens devemos viver esta justiça que os ensinamentos de Jesus nos deixaram pelos evangelistas e profetas. É difícil, mas com fé e oração chegaremos lá!

Muito bom! Gostei das intervenções e pesquisas de todos hoje, espero que  possamos conhecer mais de perto aquele que sabe perdoar e reconhecer as necessidades do próximo, ou seja, que possui a virtude da generosidade.

Até o próximo encontro!