MARIA, VOCAÇÃO PARA SERVIR EM COMUNIDADE

Texto para o fim do ano vocacional

 

            Quando mencionamos o termo “comunidade”, logo nos lembramos da  vivência dos apóstolos com Maria. De como ela vivia em comunhão com todos eles, rezando, trabalhando, protegendo e orientando a todos. Também nos lembramos da mais linda festa do ano, o Natal.

            Encerrando o Ano Vocacional, estivemos voltados a um conhecimento mais profundo do que é o Sacramento do Batismo e que ele nos incorpora à Igreja e à comunidade; que é pelo batismo que passamos a fazer parte da grande família dos filhos e filhas de Deus,   como também  nos integrarmos às demais pastorais nas comunidades. Queremos encerrar o ano com “chave de ouro”, refletindo  sobre a verdadeira vocação de Maria, na comunidade dos apóstolos e o seu jeito todo especial de servir.

            A presença de Maria nas comunidade dos primeiros cristãos foi por demais importante, comunidades estas que faziam do Batismo e da Eucaristia Sacramentos primordiais da iniciação cristã, reconhecendo nela o valor do seu “sim” e do “faça-se” (em mim segundo a tua palavra) (Lc1,38b). a partir daí Maria se torna mãe do Cristo e da Igreja.

            Por toda a sua trajetória de vida, Maria se colocou sempre a serviço dos que dela precisavam. No calvário quando ela é entregue aos cuidados de São João, Jesus certamente considerava, em certo sentido, concluída com sua morte, a maternidade humana de Maria, para inaugurar um novo tempo, sua maternidade espiritual, o que nos inclui também como seus filhos.

            A mais sublime vocação de Maria a que temos conhecimento é o de mãe de Deus sustentada pelo Espírito Santo. Da mesma forma, sua vocação também de “povo de Deus”. Nela Israel deu resposta fiel ao compromisso de aliança, nela Cristo nasce e se realiza como comida consagrada ao Senhor.

            Nessa festa de Natal, Maria como vocacionada ao serviço do Senhor, como “filha de Sião” e de modo único exemplar, compartilha conosco à alegria pela vinda de Deus no meio do seu povo através de Jesus Cristo. Pela graça de Deus, Maria foi escolhida para ser a mãe do Filho do Altíssimo.

            Por ser agraciada ela se envolveu na missão tornando-se perfeita na disponibilidade como “a serva do Senhor”.

            O retrato de mulher aplicado a Maria segundo São Lucas, torna-se mais forte a partir do nascimento de Jesus, o qual introduz no mundo a força poderosa de Deus capaz de vencer definitivamente o mal. É esse o maior objetivo dos festejos de Natal.

Que a paz reine em todos os lares Que todos sejam envolvidos no amor do Pai e cobertos pela força atuante do Espírito Santo. Como em Maria, que possamos ser fiéis e perseverantes no amor de Deus, e que nos tornemos Igreja e comunidade  caminhando juntos com ela rumo a esperança, perseverantes na fé e na busca da paz para o mundo.